Artigo: Motivação Financeira


Motivação Financeira
T
empos atrás, conheci uma pessoa com muitos problemas financeiros. Essa pessoa não sabia ao certo quanto ganhava e muito menos o quanto gastava. Quando não tinha dinheiro na carteira, usava o cartão de crédito ou então o talão de cheques para continuar na ânsia frenética do consumo.
Diariamente somos bombardeados pela mídia: jornais, revistas, televisão e rádio nos dizendo: Promoção!! Compre agora e pague somente depois da copa!! Compre em apenas 60 parcelinhas!!
Enfim, essa pessoa não sabia como sair desse círculo vicioso de comprar e depois fazer malabarismos para conseguir pagar.
Até que certo dia, o filho desse homem, com apenas oito anos, ao vê-lo resmungando e praguejando sobre as diversas contas e dívidas espalhadas sobre a mesa, falou:
- Papai, trouxe aqui meu cofrinho, tenho algumas moedinhas que guardo sempre que a mamãe me dá dinheiro para o lanche da escola. Não gasto tudo, sempre deixo algumas moedas para colocar no meu cofrinho, pois quero comprar uma bicicleta no final do ano.  Mas Papai, quero lhe ajudar, pegue meu dinheiro para pagar as contas e não se preocupe, depois eu junto mais para comprar minha bicicleta. 
O homem, com lágrimas nos olhos, pegou aquelas moedas, que não somavam quase nada, mas era tudo o que seu filho possuía, o qual guardou por muitos meses, moedinha por moedinha. Percebeu o pequeno-grande homem que tinha em sua frente: precavido, generoso e amável.
O ensinamento que levou desse fato foi enorme.  Sentiu-se envergonhado perante a família.  Sentiu-se envergonhado de sí mesmo.
A partir daquele dia, o homem procurou conhecer algumas técnicas para se organizar financeiramente, participou de palestras e eventos sobre o tema. Buscou conhecimento, buscou ajuda.
Hoje esse homem, tem o prazer de sentar-se a mesa com a família, sem se preocupar com contas atrasadas, sem se preocupar com cobradores insistentes á sua porta.  E a primeira coisa que ele fez, ao melhorar sua vida financeira, foi comprar uma bicicleta para aquele que lhe abriu os olhos: seu amado filhinho.
Não raro, vejo pessoas levando a vida e deixando a vida o levar, como já dizia a música do Zeca Pagodinho. Embora saibam que podem melhorar de vida, não tem a mínima vontade de reagir.
Mas fatos que mexem com nossa emoção, acabam por nos tirar da zona de conforto, nos motivam a mudar.
Não espere algo assim acontecer com você. Reaja agora mesmo! Saia da cadeira e vamos á obra. Se possui problemas com dívidas, lute com todas suas forças para honrá-las e ande com a cabeça erguida perante a sociedade e perante sua família.
Como é bom, olhar-se no espelho e ver um vencedor.
Reflita, o que você está vendo ao olhar-se no espelho?
Cristiano Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas